Funcionário da estatal, Carlos Victor Guerra Nagem foi considerado sem experiência para assumir a gerência executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da companhia.

A Petrobras anunciou, nesta sexa-feira (15/2), que o amigo do presidente Jair Bolsonaro Carlos Victor Guerra Nagem não tem experiência para assumir o cargo de gerente executivo de Inteligência e Segurança Corporativa da estatal. O nome de Nagem foi indicado, em janeiro, por meio de uma postagem numa rede social do presidente.
“Apesar de sua sólida formação acadêmica e atuação na área, seu nome não foi aprovado porque ele não possui a experiência requerida em posição gerencial que é necessária à função, considerada de elevada sensibilidade para a companhia”, disse a estatal em nota, para justificar a não aprovação da indicação presidencial.
Mês passado, Carlos Victor tinha sido indicado pelo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, para assumir a gerência de Inteligência e Segurança, e tinha sido apontado pelo presidente Jair Bolsonaro como “amigo particular”. A nomeação precisou passar pelo conselho de administração da empresa, que não aprovou o candidato ao cargo, apesar de ser funcionário da estatal.
Carlos Victor Guerra Nagem é capitão da reserva da Marinha e funcionário concursado da Petrobras há 11 anos, com atuação na área de segurança. Se licenciou da companhia, se candidatar a vereador em 2016 e a deputado estadual no ano passado. Apesar do apoio de Bolsonaro nunca se elegeu.
A antiga gerente executiva de Inteligência da Petrobra Regina de Luca foi demitida do cargo em dezembro do ano passado. Regina  tinha  sido secretária de Segurança Pública do Ministério da Justiça no governo Dilma Rousseff.
Fonte: Simone Kafruni
16/02/2019