“Fiz mais de 60 redações ao longo do ano todo”, contou David Klinsman, que deu dicas de como tirar a nota máxima.

David Klinsman tem 20 anos e é estudante de Imperatriz, a 486 km de São Luís. Ele conseguiu estar entre os seletos 55 candidatos de todo o país a tirar a nota tirar 1000 na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM 2018). Segundo o aluno, foi uma conquista baseada em anos de esforço para cursar medicina na UFMA.
“Assim que eu acordei eu já olhei a nota e entrei logo no site. Quando eu olhei, paralisei, Fiquei congelado. Eu entrei várias vezes no site durante o dia porque não acreditava. Era muito surreal. A ficha é difícil cair”


David Klinsman tirou 1000 na redação do ENEM 2018 — Foto: Reprodução/David Klinsman

David, deu várias dicas para os candidatos que querem tirar nota máxima na redação do ENEM. Da rotina dedicada aos estudos, até fazer vários textos durante a semana, o estudante conta que precisou se organizar e treinar muito. Confira abaixo.

Rotina

Para a prova da redação em 2018, David conta que preparou uma rotina especial para cada área do conhecimento. A maior parte do dia era estudando e acompanhando os noticiários.

“De manhã eu ia para o cursinho, das 7h até umas 12h. Depois eu tirava um tempo para almoçar e descansar. À tarde, eu frequentava a biblioteca da UFMA no centro, onde gostava de estudar e ficar até o horário que eles fecham, às 21h. Quando chegava em casa, eu jantava, tirava umas duas horas de descanso e, antes de dormir, estudava um outro assunto, sempre conciliando exercício e conteúdo”

Tema

Para a maioria dos estudantes, não saber com antecedência o tema da redação gera medo. Em 2018, a redação do ENEM teve como tema “manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. Para David, o tema não assustou e até foi especial e importante.

“O tema sempre é uma surpresa. Quando abri a prova, tive um espanto inicial em relação ao tema, mas depois me acalmei e fui fazer o rascunho. Acontece que, quando a gente faz muito texto ao longo do ano, a gente treina bastante e acaba criando uma estrutura de padrão de redação. Uma quantidade de parágrafos, uma quantidade de palavras que a gente tem que colocar … pensamentos, notícias de jornais… então isso nos dá uma segurança”

Segundo David, o ENEM cobra dos estudantes um texto que possua argumentos. Saber o que usar como base para todo o texto também é um problema. Para superar esse desafio, ele apostou em armazenar o máximo de informação possível nas áreas sociais e não ficar de fora do que acontecia no mundo.

“A dica que dou para argumentação é ler muito e assistir muita coisa porque, apesar de eu tirar muito tempo para estudo, eu sempre tirava um tempo para ler filosofia, sociologia e assistir jornais. No caso desse tema da redação, usei como exemplo o fake news e eu introduzi a redação usando um sociólogo, o Pierre Bourdieu, só que isso já era de um conhecimento prévio que eu levei para a prova. O INEP sempre aconselha o estudante que o tema de redação é sempre extraído com base na realidade brasileira. Então, por mais que seja difícil, vai ser sempre um tema voltado para um problema específico do Brasil”

Tempo

“Para a redação, eu escrevia cronometrando o meu tempo porque o maior desafio era o tempo. Eu fazia cerca de três textos por semana. Fiz mais de 60 redações ao longo do ano todo e levava para o professor do cursinho. Ficava no pé dele para saber o que eu estava errando, o que estava faltando no texto, o que eu precisava acrescentar e melhorar”

Competências para a redação

“A prova de redação vale 1000, que é dividido em várias competências valendo 200 pontos. A própria cartilha do INEP libera essas competências e instruem a gente a estudar baseado nessas competências. Apesar do tema ser difícil, a gente só vai encaixando e mudando o assunto porque a cobrança de competência é a mesma. Se você estudar baseado nas competências, independente do tema você vai se sentir seguro para fazer”

“A primeira competência é gramática, por exemplo. Então o conselho que dou para tirar uma bota nota na redação é estudar por essas competências que o INEP libera. E estudei também tentando pensar não apenas como aluno, mas como se eu fosse um corretor. Eu me questionava sobre o que eu queria que tivesse naquele texto”

Sonho

Essa é a sexta vez que o estudante faz a prova do ENEM, sendo a terceira após o término do ensino médio. Ele disse que já teve várias notas que dariam para fazer outros cursos, mas não aceitou. Ele quer mesmo é fazer medicina e desta vez acredita que vai dar tudo certo.

“Eu tô muito confiante porque consegui boas notas em outras áreas também. Minha média foi 803 e eu acho que dessa vez vai”, disse David.

Por/ Rafael Cardoso