O Talibã imediatamente negou a responsabilidade pelo incidente, que ocorreu na cerimônia de comemoração a Abdul Ali Mazari – um político da etnia Hazara, a maioria xiita.

Um ataque nesta sexta-feira durante uma reunião política na zona oeste de Cabul deixou pelo menos 27 feridos, no que seria o primeiro ataque na capital do Afeganistão desde a assinatura do acordo entre os talibãs e o governo dos Estados Unidos.
“As forças especiais afegãs e a polícia estão no local”, afirmou o porta-voz do ministério do Interior, Nasrat Rahimi.
Os talibãs negaram qualquer responsabilidade no ataque contra a cerimônia em memória de Abdul Ali Mazari, um político da minoria hazara, cujos membros são majoritariamente xiitas, em um Afeganistão amplamente sunita.
No ano passado, um ataque reivindicado pelo grupo Estado Islâmico (EI) durante a mesma cerimônia matou 11 pessoas.
Vários integrantes da elite política afegã estavam presentes, entre eles o primeiro-ministro Abdullah Abdullah, que afirma ter vencido a eleição presidencial de setembro, apesar do resultado oficial mostrar sua derrota.
O incidente acontece menos de uma semana depois da assinatura de um acordo em Doha entre Estados Unidos e os talibãs, que abre o caminho para a retirada completa das tropas estrangeiras do Afeganistão em 14 meses, em troca de garantias de segurança.
Uma trégua parcial instaurada a pedido de Washington em 22 de fevereiro foi suspensa na segunda-feira pelos talibãs, que desde então intensificaram os ataques contra as forças de segurança afegãs, evidenciando a dificuldade de um diálogo entre os insurgentes e o governo, outra condição do acordo de Doha.
FONTE/ Agência France-Presse
06/03/2020