Green Book’ levou como melhor filme. Mexicano Alfonso Cuarón levou três estatuetas e filme sobre o Queen foi o maior vencedor da noite, com quatro prêmios.

A cerimônia do Oscar consagrou “Green Book: O Guia”, “Roma” e “Bohemian Rhapsody” neste domingo (24), em Los Angeles.

A noite também foi importante pelo recorde de maior número de prêmios para profissionais negros (7 estatuetas) e para mulheres (15) em toda história da premiação.

“Green Book: O Guia”, sobre a amizade entre um motorista racista e um músico negro, venceu como Melhor Filme, além de Roteiro Adaptado e Ator Coadjuvante (Mahershala Ali). A cinebiografia do Queen e de Freddie Mercury levou quatro estatuetas, incluindo melhor ator para Rami Malek.

“Roma” deu três prêmios a Alfonso Cuarón, incluindo sua segunda estatueta como diretor e o primeiro Oscar de Filme Estrangeiro para o México.

Outros destaques do Oscar 2019:”A Favorita” bateu a favorita: Olivia Colman foi Melhor Atriz pelo filme “A Favorita”. No discurso, ela pediu desculpas a Glenn Close, que era apontada como favorita ao prêmio, na 7ª indicação sem vitóriaLady

Gaga levou por Melhor Canção com “Shallow”, a única estatueta de “Nasce uma estrela”Spike Lee ganhou seu primeiro Oscar “oficial”, após prêmio honorário em 2006.

Foi pelo roteiro original de “Infiltrado na Klan “Pantera Negra” levou 3 prêmios técnicos: trilha sonora, figurino (o 1º para profissional negro) e direção de arte (1º para uma mulher negra).

A Netflix foi premiada quatro vezes: além de “Roma”, levou documentário em curta-metragem com “Absorvendo o tabu”Rami Malek foi o melhor ator e celebrou a chance de contar a história de Freddie Mercury: ‘um homem gay, um imigrante, que viveu a vida sem pedir licença’Show do Queen abriu a cerimônia, a ira sem apresentador em 30 anos.

“Essa é uma história de amor. Sobre sabermos amar uns aos outros apesar das diferenças”, disse o diretor Peter Farrelly ao agradecer no palco pelo Oscar de Melhor Filme de “Green book: O guia”.

Alfonso Cuarón discursando com o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro por ‘Roma’ — Foto: Mike Blake/Reuters

Três vezes Alfonso Cuarón

Cuarón levou prêmios de Fotografia, Filme Estrangeiro e Diretor. “Eu cresci vendo filmes em língua estrangeira… Como ‘Cidadão Kane’, ‘Turabão’ e ‘O poderoso chefão'”, comentou o mexicano ao vencer com “Roma” o prêmio de Filme Estrangeiro.

No último discurso, ele disse: “Agradeço à Academia por reconhecer um filme que trata de uma mulher indígena, e uma das 70 milhões de empregadas domésticas sem direitos trabalhistas. Uma personagem historicamente sempre deixada para trás. “

“O nosso trabalho é olhar para onde ninguém olha. Essa responsabilidade se torna muito maior numa época onde estamos sendo encorajados a não olhar. Muito obrigado Libo (sua babá na vida real, que inspirou o filme)”, disse Cuarón.

Spike Lee pula em Samuel L. Jackson após o anúncio do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado por ‘Infiltrado na Klan’ — Foto: Mike Blake/ Reuters

Spike Lee e seu primeiro Oscar ‘oficial’

Spike Lee levou seu primeiro Oscar competindo com outros profissionais, pelo roteiro adaptado de “Infiltrado na Klan”. Em 2006, o americano ganhou um Oscar Honorário e na época criticou a quantidade de negros concorrendo ao prêmio.

“Diante do mundo, eu gostaria de reverenciar os ancestrais que construíram esse país, e também os que sofreram genocídios”, disse ele em seu discurso.

“Os ancestrais vão ajudar a voltarmos a ganhar nossa humanidade. As eleições de 2020 estão chegando, vamos pensar nisso. Precisamos nos mobilizar, estar do lado certo da história. É uma escolha moral. Do amor sobre ódio. Vamos fazer a coisa certa”, disse, citando seu próprio filme.

25/02/2019