Além de ter o maior saldo de empregos com carteira assinada dos últimos oito anos para o mês de março, o Maranhão também se destacou no desempenho da Região Nordeste. Embora a média regional tenha registrado queda, o Estado destoou e teve o segundo maior número de vagas da região.
O Maranhão criou em março 1.017 postos com carteira assinada, um crescimento de 0,22%. Já o Nordeste inteiro teve o número inverso: uma queda de 0,22%. Foram 13.608 postos perdidos.Além disso, o Maranhão só ficou atrás da Bahia na criação de novos empregos formais.Trimestre positivoNo acumulado do primeiro trimestre do ano, o desempenho do Maranhão também é positivo, destoando mais uma vez do Nordeste, que cortou mais vagas do que criou.Entre janeiro e março, apenas quatro Estados nordestinos tiveram alta no emprego – entre eles, o Maranhão.
E cinco tiveram queda.ServiçosO setor que mais contribuiu para a geração de empregos em março no Maranhão foi Serviços, com um crescimento de 0,70% e mais de 1.300 postos com carteira assinada.O Governo tem atraído empresas do setor de Serviços com incentivos para gerar emprego. Um dos exemplos é o novo Parque Empresarial de São Luís, que já gerou centenas de vagas no setor atacadista.
sss
sd